Foto: Everton Ballardin
Foto: Everton Ballardin

Fabricação Própria – Lotus Lobo

Curadoria de Marcelo Drummond

Fabricação Própria

Pompeia

Duração: 60 minutos

L

atividade presencial

Grátis

Local: Galpão

Datas e horários

De 14/10 a 30/01

Terça a Sexta

das 11h às 21h

Sábado

das 10h30 às 21h

Domingo

das 10h30 às 18h

Foto: Everton Ballardin
Foto: Everton Ballardin

Com obras históricas e inéditas, produzidas em diferentes suportes, materiais e novas formas de edição e impressão, a exposição compreende os 60 anos de produção da artista, que engloba seu acervo, bem como as formas de pensar a política das imagens no mundo contemporâneo.

A proposta é apresentar, em estreito diálogo com o ambiente da antiga Fábrica da Pompeia (Sesc Pompeia) e com o legado deixado pela arquiteta Lina Bo Bardi, o resgate e a preservação do acervo de matrizes litográficas, em pedra e zinco, provenientes da Estamparia Juiz de Fora, Minas Gerais, originárias das décadas de 1930-1960, com que Lotus articula sua vasta produção artística.

O recorte curatorial de Fabricação Própria destaca a experiência de Lotus em relação ao seu acervo e tem como objetivo dar visibilidade e acesso à produção da artista, demonstrando sua relação com a arte e seu histórico de atuação desde a década de 1960 até suas produções atuais.

Local: Galpão

Clique aqui para experimentar a plataforma digital da exposição e conhecer outros conteúdos online produzidos especialmente para a mostra.

Lotus Lobo é gravadora, desenhista, pintora e pesquisadora, sendo um dos principais nomes da litografia no Brasil. A artista nasceu em Belo Horizonte em 1943 e, atualmente, vive e trabalha na capital mineira, onde graduou-se na Escola Guingnard, da UEMG, em Artes Plásticas. Na França, estudou na École Superieure des Art et Industries Graphiques Estienne e na École D’Arts Plastiques et Sciences D’Art de L’Université de Paris. Foi professora de litografia na UEMG e na UFMG em intervalos entre 1966 a 1993. Na carreira da artista, convém destacar a sua participação na “X Bienal de São Paulo” (1969), quando recebeu o Prêmio Itamaraty ao exibir três objetos-gravuras (lito-objetos) manipuláveis pelo público. Nota-se, ainda, sua participação na emblemática manifestação “Do corpo a terra” (1970), organizada pelo crítico de arte Frederico Morais e realizada no Parque Municipal de Belo Horizonte, onde Lotus propôs a intervenção “Plantação”.

Curso: Litografia: passado, presente e futuro

Como parte da finalização da exposição “Fabricação Própria – Lotus Lobo” e com o objetivo de abordar uma visão sobre a gravura situando a litografia historicamente e seus desdobramentos mais significativos, tanto na indústria quanto no campo das artes. Os participantes serão conduzidos através de momentos teóricos, teórico-práticos e atividades totalmente práticas, da matriz litográfica, granitagem, gravação e impressão.

As inscrições podem ser feitas aqui.

Local: Ateliê de Gravura

Visitas Temáticas: Memória das fábricas: Lina Bo Bardi e Lotus Lobo

Fábrica. Elemento presente tanto na exposição “Fabricação Própria”, de Lotus Lobo, quanto no projeto de Lina Bo Bardi para o Sesc Pompeia. Ao estabelecer pontos de articulação entre a obra de Lina e Lotus, exploramos como eixo condutor a relação entre memória e preservação nas obras de ambas. Por meio de visitas temáticas, a ideia é dialogar a partir de atravessamentos entre arte e arquitetura.

Datas: 20, 27 de janeiro (quintas)
Horários: 14h e 18hAté 8 pessoas

Brincadeira: O Jogo da Amarelinha

Lotus Lobo nos convida a pensar sobre apropriação, deslocamento e esgotamento de imagens a partir da linguagem litográfica. Um jogo de amarelinha é proposto explorando as materialidades e cores presentes na exposição “Fabricação Própria”, no qual o papelão surge como base para o jogo.

Com intuito de materializar as ideias de “transformação-mutação” – palavras presentes no título das obras de Lotus Lobo – utilizaremos papelões reciclados os quais, na dinâmica do jogo, receberiam interferências de carimbos com figuras geométricas que, com a passagem do tempo, criarão sobreposições de imagens em referência às maculaturas expostas. Através de uma vivência que dispare o olhar e resgate aa memória, ponto central da exposição, por meio da brincadeira de rua do jogo da amarelinha.

Datas: 9, 16, 23 e 30 de janeiro (domingos)

Horários: das 14h às 16h público alvo: para toda a família

Pessoas com mais de 12 anos deverão apresentar comprovante de vacinação contra COVID-19, evidenciando DUAS doses ou dose única para ingressar em todas as unidades do Sesc no estado de São Paulo.

O comprovante pode ser físico (carteirinha de vacinação) ou digital e um documento com foto.

O uso da máscara é obrigatório durante toda sua permanência na Unidade.

Para atividades com ingresso, será necessário apresentar o QR Code na entrada da atividade.

Consulte antecipadamente em sescsp.org.br sobre o funcionamento do estacionamento da unidade promotora do evento.

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.