Promoção e prevenção da saúde sexual: conheça a programação do projeto Contato

31/10/2022

Compartilhe:

De 25 de novembro a 4 de dezembro, quinta edição do projeto Contato – Ações para a promoção da saúde sexual e prevenção das ISTs e HIV/Aids incentiva a discussão e reflexão de informações atualizadas, além da troca de experiências de vida, para despertar a criação de outros imaginários e possibilitar a quebra dos estigmas e preconceitos que cercam o tema. 
 
Por meio de uma série de atividades, como filmes, bate-papos, espetáculos e oficinas, busca-se um caminho para compreender as possibilidades e complexidades do corpo, aproximar experiências e fortalecer ações de autocuidado, buscando construir coletivamente espaços que estimulam o fazer e o usufruir artístico em suas mais variadas expressões e contribuindo relações sociais mais saudáveis, respeitosas e humanas. 

Conheça a programação presencial e online abaixo:

Capital e Grande São Paulo

24 de Maio (online)
Avenida Paulista
Belenzinho
Campo Limpo (online)
Carmo
Cinesesc
Consolação
Florêncio de Abreu (online)
Guarulhos
Ipiranga
Interlagos
Pompeia
Santana
Santo Amaro

Interior e Litoral
Birigui (online)
Campinas
Jundiaí
Piracicaba
Registro
Ribeirão Preto
Rio Preto
Santos
São José dos Campos
Taubaté

Online

24 de Maio

podcast
HPV na Pauta
Com Marco Zonta, apresentação Daniel Cunha, mediação Luiz Rodolfo dos Santos

Abordagem sobre prevenção das infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), focada no vírus do papiloma humano (HPV), conhecido como o vírus que causa verrugas genitais e câncer cervical em mulheres.

Marco Antonio Zonta é biomédico e doutor em Doenças Infecciosas e Parasitárias pela UNIFESP. Realiza projetos de pesquisa e desenvolvimento relacionados a educação em saúde, políticas públicas, neoplasias e medicina populacional.

4/12, domingo, a partir das 8h
Disponível no canal do Youtube do Sesc 24 de Maio
Não recomendado para menores de 12 anos


Belenzinho

intervenção
Mais Informação, Menos Contágio 
Com Cia. Dona Conceição

Duas bordadeiras faladeiras que carregam consigo bastidores em cujo tecido há palavras semi bordadas que tem relação com as ISTs e varíola: prevenção, macaco, varíola, ISTs, preservativo, preservação, etc. Elas se aproximam das pessoas e começam a comentar sobre as palavras que estão bordando. Só que uma das bordadeiras faz comentários absurdos tais como: nunca mais chegará perto de um macaco na vida para não pegar varíola ou que “se lava” bem “depois” para se prevenir do HPV. Envolvendo as pessoas na conversa, a amiga sensata perguntam se elas concordam, o que fariam para se prevenir, e passa informações adequadas à prevenção, sintomas e tratamento. Cia Dona Conceição Fundada em 2003 por atrizes formadas pela Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo – EAD/USP a companhia é dedicada a realizar apresentações teatrais ligadas à literatura. Dentre seus trabalhos destacam criações inspiradas nas obras de autores como Rubem Braga Clarice Lispector, Eça de Queiroz entre outros; sendo que já se apresentaram estes trabalhos em Portugal e Alemanha. Desenvolvem também oficinas de teatro, a partir de memória e histórias de vida, radio teatro e podcasts; apresentações de história para adultos e crianças; tornando-se em 2022 um núcleo do Museu da Pessoa – o Núcleo Café com Biscoitos. As intervenções artísticas criadas pela Cia. versam sobre os mais variados temas, desde a área de literatura até a saúde, sempre com muita delicadeza e cuidado abordando as questões. 

Dia 26/11, sábado, das 15h às 16h30 
Não recomendado para menores de 16 anos  
Grátis – Aberto ao público 


Birigui

Diálogos para o enfrentamento do HIV
Com Dyemison Pinheiro, médico infectologistaNeste encontro, o médico infectologista

Dyemison Pinheiro traz um panorama sobre os avanços nos aspectos tecnológicos e biomédicos com relação ao HIV, com medicações, prevenções combinadas e testagem regular, aprofundando sobre o desafio na redução do estigma e discriminação frente a pessoas soropositivas.

Dyemison Pinheiro, acreano residente em São Paulo, é graduado em Medicina pela Universidade Federal do Acre (UFAC), com Residência Médica em Infectologia pelo Instituto Emílio Ribas. Mestrando em Saúde Coletiva na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, atua em projetos de pesquisa com olhar para a prevenção de HIV/Aids e outras ISTs e no seguimento de pessoas vivendo com HIV. 

Dia 1/12, quinta, das 19h às 20h30
Ação Online: Zoom Meeting
Não recomendado para menores de 14 anos – Autoclassificação
Inscrição antecipadas – Grátis


Campo Limpo

Conversas sobre saúde sexual: PREP, PEP e HIV
Com Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde

A médica da família Luiza Cadioli apresenta brevemente a história dos medicamentos que previnem a infecção por HIV – a PREP (Profilaxia Pré-Exposição) e a PEP (Profilaxia Pós-Exposição), sua função e quais públicos podem se beneficiar dessa ferramenta.

Luiza Cadioli integra o Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde, uma ONG que existe há 41 anos e que atua com especial foco na atenção primária a saúde das mulheres, numa perspectiva feminista e com direitos sexuais e reprodutivos. Teve ao longo de sua existência um papel importante na criação de políticas públicas. Atualmente possui atendimentos em saúde das mulheres com médicas de família, obstetrizes e ginecologistas, além de grupo reflexivo de masculinidades com foco em violência contra as mulheres e atendimento psicológico com psicanalistas da rede Inconsciente Real.

1/12, quinta, das 12h às 13h
Disponível nas redes sociais do Sesc Campo Limpo

Saúde das pessoas que vivem com HIV para além do HIV
Com Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde

A médica da família Mônica Verdier fala sobre a saúde das pessoas que vivem com HIV, para além do vírus, abordando assuntos relativos à sexualidade e outras questões de saúde.

Monica Verdier é médica de família com graduação e residência pela FMUSP. Trabalha no Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde desde 2021 e é ex preceptora no programa de residência da FMUSP. Atualmente cursa pós graduação em sexualidade humana (IEPOS – Pérola Byington).

2/12, sexta, das 12h às 13h
Disponível nas redes sociais do Sesc Campo Limpo


Parentalidade e HIV
Com Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde

A obstetriz Flavia Estevan tira as dúvidas mais frequentes sobre parentalidade e HIV, abordando como pessoas com HIV podem se tornar mães e pais, se gestações podem acontecer espontaneamente, se o parto pode ser normal, se é possível amamentar, entre outras questões.

3/12, sábado, das 12h às 13h
Disponível nas redes sociais do Sesc Campo Limpo


Direitos das pessoas com HIV
Com Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde
A advogada Letícia Vella apresenta o panorama legal que ampara direitos de pessoas com HIV e fornece informações sobre o que fazer em casos de discriminação.

4/12, domingo, das 12h às 13h
Disponível nas redes sociais do Sesc Campo Limpo


Florêncio de Abreu

oficina
Prazer, Mulher! Escrita erótica para todas as mulheres
Com Jamille Anahata

Desenvolvimento da escrita poética investigando o corpo, o desejo e o êxtase. Baseado nos princípios do tantra, em que a energia sexual é uma energia de vitalidade, os encontros vão trazer práticas de consciência corporal, exercícios de escrita individuais e compartilhamento coletivo das produções potântrica-éticas.

Jamille Anahata é militante indígena, bissexual, poeta e pesquisadora de relações raciais e branquitude. Formou-se terapeuta neo-tântrica na kandah escola de tantra, sexualidade e expansão de consciência. Experimentadora da palavra e do corpo.

De 17 a 30/11 (exceto dia 24/11), quartas e quintas, das 19h às 21h.
Atividade online na plataforma Teams
Não recomendado para menores de 18 anos
Inscricões em www.inscricoes.sescsp.org.br

oficina
Prazer, Mulher! Autoconhecimento para o prazer de mulheres cis
Com Dandhara Constantino, fisioterapeuta especialista em saúde da mulher

A sexualidade feminina é alvo de constante repressão ao longo da história, e continua sendo mesmo em meio aos avanços recentes nas discussões sobre os lugares das mulheres na sociedade. Nesta oficina, a fisioterapeuta Dandhara Constantino apresenta conteúdos e exercícios voltados ao autoconhecimento sobre a anatomia e as formas de obter prazer sozinha e/ou acompanhada.

Com Dandhara Constantino, fisioterapeuta com especialização e atuação em fisioterapia pélvica, saúde da mulher e sexualidade


De 29/11 a 6/12, terças e quintas, das 19h30 às 21h
Atividade online na plataforma Teams
Não recomendado para menores de 18 anos
Inscrições em www.inscricoes.sescsp.org.br


Capital e Grande São Paulo


Avenida Paulista

bate-papo
Papo positivo: viver com HIV e sem estigmas
Com Dr. Vinícius Borges, Vanessa Campos e Rafaela Queiroz

Ativistas pelos direitos das pessoas que vivem com HIV/AIDS fazem um breve histórico da luta, direitos, preconceitos, estigmas e quais as diferentes realidades que encontramos em nosso país.

Vinícius Borges é médico infectologista dedicado ao HIV/Aids, hepatites virais e IST’s. Influenciador digital focado na saúde da população LGBTQIA+ e direitos humanos, sendo responsável pelo canal Doutor Maravilha, com mais de 270 mil seguidores nas redes sociais.

Vanessa Campos tem 50 anos, é feminista e vive com HIV/AIDS desde 1990.
Natural de Manaus/AM, é representante estadual da Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e AIDS no Amazonas e representante da RNP+Brasil no Grupo Temático Ampliado do Fundo das Nações Unidas para HIV e Aids. Idealizadora do @soroposidhiva, perfil em que aborda HIV/AIDS, feminismo e política de AIDS.

Mediação:
Rafaela Queiroz é psicóloga, feminista e nasceu com HiV+.e apresentadora do canal #CoquetelCom_Elas .

1/12, quinta, das 19h30 às 21h
Retirada de ingressos com 1h de antecedência.


Belenzinho

Intervenção
Mais informação, menos contágio
Com Cia. Dona Conceição

Duas bordadeiras e faladeiras carregam consigo bastidores com palavras semi bordadas com relação as IST’s e varíola. Discutem as verdades e os absurdos que cercam os temas e envolvem o público na conversa, perguntando se concordam, o que fariam para se prevenir e passam informações atualizadas sobre prevenção, sintomas e tratamento.

Cia Dona Conceição foi fundada em 2003 e é dedicada a realizar apresentações teatrais ligadas à literatura. As intervenções artísticas criadas pela Cia. versam sobre os mais variados temas, sempre com muita delicadeza e cuidado abordando as questões.

26/11, sábado, das 15h às 16h30
Não recomendado para menores de 16 anos


Carmo

bate-papo
Escritas de SI(DA) – o HIV/Aids na literatura brasileira
Com João Silvério Trevisan, escritor, jornalista e ativista pelos direitos da população LGBTQIA+. Mediação de Leandro Noronha, jornalista e escritor, do Coletivo Contágio.

Como a literatura aborda hoje a temática, em relação com as décadas de 80 e 90? Qual a importância da escrita literária para a discussão do HIV/Aids? A atividade se propõe a refletir as relações entre HIV/Aids no Brasil e traz a temática de diversas formas e versos por meio de escritoras/es e poetas, positivas/os ou não, (re)escrevendo suas trajetórias e das pessoas ao seu redor. O bate-papo busca pensar o surgimento e as transformações da epidemia de HIV/Aids na década de 1980 até os dias atuais a partir da literatura brasileira e de como diversas obras literárias acompanharam o desenvolvimento dessa temática.

Dia 7/12, quarta, das 18h às 19h30
Biblioteca – 2° Andar
Grátis

bate-papo
Escritas de SI(DA) – juventudes e novas narrativas sobre o HIV/Aids
Com Emer Conatus e Raul Nunner, do podcast Preto Positivo, e Fenix Zion, professore, produtore, idealizadore Vògún Yié e ativista.
Mediação: Leandro Noronha, jornalista e escritor, do Coletivo Contágio

Como a literatura aborda hoje a temática, em relação com as décadas de 80 e 90? Qual a importância da escrita literária para a discussão do HIV/Aids? A atividade se propõe a refletir as relações entre HIV/Aids no Brasil e traz a temática de diversas formas e versos por meio de escritoras/es e poetas, positivas/os ou não, (re)escrevendo suas trajetórias e das pessoas ao seu redor.

Dia 8/12, quinta, das 10h às 11h30
Biblioteca – 2° Andar
Grátis


Cinesesc

filme
Os Primeiros Soldados
(Dir.: Rodrigo de Oliveira. Brasil, 2021. Drama. Cor. 107 min.)

Em 1983, o jovem biólogo brasileiro Suzano tenta sobreviver à primeira onda da epidemia de AIDS. O desespero diante da falta de informação e do futuro incerto aproxima Suzano da artista transexual Rose e do videomaker Humberto, igualmente doentes.
Dia 1/12, quinta, das 20h30 às 21h30

Não recomendado para menores de 16 anos – Autoclassificação
Ingressos – R$24,00 / R$12,00 / R$7,20


Consolação


Oficina de escrita e slam
Construções possíveis através do slam
Com a Coletiva Slam das Minas SP

O que é poesia? O cabe em um poema? A quem cabe escrevê-lo? De onde vem e para que serve o poema? Essas serão algumas questões norteadoras desse encontro com jovens, com o intuito de provocar algumas reflexões importantes na busca do eu, poeta, diante de importantes e relevantes temas na discussão sobre diversidade, saúde pública, ética e direitos humanos.

Dia 1/12, quinta, às 15h e 16h30

Roda de conversa
Poesia, ciência e as infos mais atualizadas
Mediação do apresentador Spartakus Santiago. Como convidades, a poeta Priscila Obaci, multiartista e educadora, matrigestora de Xirezinho e Kisânsi, vive com HIV desde 2017; e o influenciador João Netto, do canal Super Indetectável

Profissionais e artistas convidarão o público a se aproximar e se aprofundar no conhecimento sobre o HIV e a Aids através da poesia e da ciência.

Dia 1/12, quinta, às 15h30

Apresentação de Slam
Com a Coletiva Slam das Minas SP

O slam, batalha de poesia falada, abrirá nossa roda para uma conversa potente e informativa sobre HIV e Aids.
Após a apresentação, a Coletiva abre passagem para a abertura de uma Roda de conversa que pretende, sob as perspectivas da arte – especialmente pelo slam e pela poesia – e da ciência, trazer informações sobre a evolução do HIV e da Aids no Brasil e no mundo, evidenciando avanços científicos sobre métodos de prevenção e tratamento, e divulgando dados estatísticos sobre o avanço do HIV e da a Aids em diferentes grupos sociais – por exemplo, determinados grupos etários e de gênero.

Dia 4/12, domingo, às 14h

Roda de conversa
Tá no hype falar de HIV? | Poesia, ciência e as infos mais atualizadas

Com mediação do apresentador Spartakus Santiago e, como convidades, a poeta HIV+ Marina Vergueiro, diretora do curta “Cartas Pra Mim” e o influenciador HIV+ João Netto, do canal Super Indetectável

Profissionais e artistas convidarão o público a se aproximar e se aprofundar no conhecimento sobre o HIV e a Aids através da poesia e da ciência. Personalidades que se fazem presentes na sociedade por meio de seus trabalhos em redes sociais, mobilizando conhecimento e reflexão social, irão compor um caldeirão de boas perguntas e possíveis respostas em um bate-papo com o público participante.

Dia 4/12, domingo, 14h30
Inscrições no local, 30 minutos antes do início da atividade


Guarulhos

vivência
Memorial incompleto da epidemia de Aids
Com Acervo Bajubá e GIV – Grupo de Incentivo à Vida

Ativação de registros de histórias de vida de pessoas vítimas da epidemia da Aids. Com um ateliê educativo, propõe atividades sobre o tema, mediações do acervo bibliográfico e dos depoimentos, bem como a coleta de testemunhos. O memorial conta ainda com oficinas de escrita e publicação, sarau aberto e duas coletas públicas de testemunho, no formato de rodas de conversa.
O projeto será desenvolvido a partir do dia 1º de dezembro, dia em que, desde a década de 1990, é celebrado o Dia Mundial de Luta Contra a Aids. O memorial incompleto da epidemia de aids dialoga com essa tradição, pois celebra a vida de pessoas vítimas da epidemia da aids, comemora as respostas e ações criadas ao longo de quatro décadas de luta, e promove o reconhecimento das mudanças ao longo desses anos.

De 1 a 9/12, quartas a sextas, das 13h às 19h
De 3 a 11/12, quintas, sábados e domingos, das 12h às 18h
Sem retirada de ingressos.

oficina
Escrita e publicação: memorial incompleto da epidemia de aids
Com Laura Daviña e Juão Nyn
De 1 a 15/12, terças e quintas, das 19h às 21h

vivência
Coleta pública de testemunho
Com Marcos Tolentino

Atividade participativa, na qual serão entrevistadas pessoas sobre suas experiências com o enfrentamento à epidemia de hiv e aids no estado de São Paulo. Ao final da entrevista, o público poderá fazer perguntas, tornando, assim, colaborativa a produção dos testemunhos. Além do seu potencial como momento produtor de memórias, o testemunho público tem uma importância pedagógica, da valorização das memórias e narrativas individuais e da produção coletiva de uma entrevista.

1/12, quinta, das 19h às 22h

sarau
Café com Expressão
Com GIV – Grupo de Incentivo à Vida

O Sarau Café com Expressão é realizado no GIV- Grupo de Incentivo à Vida desde 2012, pensada para facilitar a integração entre os participantes da ONG e a comunidade. O evento contas com apresentações de diversas expressões artísticas como dança, poesia, performance e música em que os espectadores serão convidados a refletir as questões relacionada ao HIV/aids, sexualidade e prevenção ao HIV. Haverá também um varal com poesias e um espaço para as pessoas escreverem depoimentos, o que sabem sobre HIV/aids e memórias sobre o tema. O microfone estará aberto para participação de todos.

10/12, sábado, das 17h às 20h
Sem retirada de ingressos


Ipiranga

bate-papo
Como eliminar monstros: discursos artísticos sobre HIV/AIDS
Com Ronaldo Serruya e Fabiano Dadado de Freitas

Os artistas apresentarão uma análise dos discursos artísticos e produções de narrativas que, ao longo da história da epidemia, tiveram o HIV/ AIDS como recorte temático. A ideia é traçar uma história social da AIDS por meio das múltiplas linguagens e artistas das mais variadas searas que se debruçaram sobre a questão, além de traçar novas políticas de linguagem para pensar o HIV hoje, perpassando por autores e artistas como Susan Sontag, Michael Foucault, Preciado, Herbert Daniel, Caio Fernando Abreu, Leonilson, assim como as ações performativas do lendário grupo de ativistas ACT UP, entre outros. \

O bate-papo será ministrado pelos parceiros artísticos Fabiano de Freitas (diretor e ator, membro do Teatro de Extremos) e Ronaldo Serruya (ator e dramaturgo, membro do Teatro Kunyn).

Dia 27/11, domingo, das 15h às 16h
Livre – Autoclassificação


Interlagos

bate-papo e intervenção
Cuidado e Prevenção ao HIV/ IST
Com Cia. de teatro EducaVida.

Por meio de um bate-papo entre personagens e o público, surgem histórias sobre cuidado e prevenção as IST’s e o preconceito que cerca as pessoas que vivem com HIV.

2 e 3/12, sexta e sábado, das 10h às 12h
Sem retirada de ingressos.


Pompeia

bate-papo
Saúde sexual e prevenção nas ISTs
com Lucas Raniel

A roda de conversa tem como objetivo abordar a temática da saúde sexual, reprodutiva e a prevenção das ISTs, por meio de ações educativas, participativas e lúdicas, utilizando diversas linguagens para possibilitar uma maior aproximação com o público, e, assim, promover reflexões críticas sobre esses temas.

Com Lucas Raniel, criador e comunicador digital e que aborda questões relacionadas a própria vivencia, superação e estudo com o HIV e também como palestrante dialogando sobre educação sexual, comportamento social e prevenção combinadas às ISTs. Lançou na internet a #VivoComHIV há 6 anos, e desde então isso tem motivado milhares de outras pessoas, também vivendo com HIV, a compartilhar suas experiências em redes sociais.

Dia 3/12, sábado, das 14h às 15h30
Ginásio
Não recomendada para menores de 12 anos
Grátis


Santana

bate-papo
Preconceito, estigma e discriminação – Informação como ferramenta de mudança
Com Dr. Álvaro Costa, Pisci Bruja e Lucas Raniel

Pessoas que pesquisam o tema HIV/Aids e ISTs discutem a prevenção e difusão de informação como ferramenta de mudanças. Informar de maneira leve e atual a realidade das pessoas que vivem com HIV mostrando que os avanços tecnológicos em relação aos medicamentos e prevenção estão em constante mudanças, porém a comunicação ainda é ultrapassada e estigmatizadora.

4/12, domingo, das 16h30 às 17h30
Sem retirada de ingressos


Santo Amaro

encontro
Ações Extramuros – Atendimento IST/HIV/AIDS com a Organização BARONG

Bate-papo e atendimento em unidade móvel a organização Barong, que promove a saúde sexual e reprodutiva, a qualidade de vida das PVHA (Pessoas Vivendo com HIV/Aids) e a redução à incidência de IST/HIV/AIDS por meio da intervenção de profissionais da área de saúde, psicólogos, enfermeiros, agentes de saúde comunitária, assistente social e educadores.

Atividades:
Orientações sobre saúde sexual e reprodutiva com equipe multidisciplinar
Testagem de ISTs
Sessão de cinema
Oferta de insumos de prevenção as ISTs

Dia 26/11, sábado, das 10h30 às 17h30
Ação Externa: Fundação Julita – R. Nova Tuparoquera, 249 – Jardim São Luiz
Não recomendado para menores de 10 anos
Sem retirada de ingressos


Interior e Litoral

Campinas

bate-papo
HIV e AIDS: Desconstruindo preconceitos germinando informações
Com Vanessa Campos, Dyemison Pinheiro, Casa sem Preconceito e Tamara Faifman.

Encontro que busca a desconstrução dos preconceitos e a propagação de  informações atualizadas sobre as ISTs e HIV/Aids no Brasil.

Vanessa Campos tem 49 anos, é mãe e feminista, vive com HIV/AIDS desde 1990, é secretária de comunicação da RNP+Brasil (Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e AIDS) no Amazonas e criadora do canal Soroposidhiva.

Dyemison Pinheiro é Médico Infectologista, mestrando em Saúde Coletiva na Santa Casa de São Paulo. Atua em projetos de pesquisa em HIV/Aids.
 
Susy Campos é agente social e idealizadora da Casa sem Preconceitos – Reduzindo Danos e Promovendo a Cidadania é uma instituição sem fins lucrativos de Campinas e tem o objetivo de oferecer oportunidades para integrantes da comunidade LBGTQI+ em situação de rua, para que possam vivenciar a experiência de construir uma casa coletiva, reconstruindo seus sonhos.

2/12, sexta, das 10h30 às 12h30
Sem retirada de ingressos


vivência
A poética do corpo e do contato
Com Tamara Faifman, idealizadora do Projeto sER.á.Linha_do

Tamara Faifman propõe uma imersão em torno da troca entre corpo/ palavra/poesia. Próximo ao Dia Mundial de Combate ao HIV/AIDS, a poesia do contato com o outro, a inscrição na pele, como uma página a ser escrita, ganha novos versos de luta e resistência.

2/12, sexta, das 19h às 21h
Sem retirada de ingressos


performance
sER.á.Linha_do
Com Tamara Faifman e  Casa sem preconceito

A ação performática sER.á.Linha_do gira em torno da troca entre corpo/ palavra/poesia. Onde o texto escrito por um fio contínuo conduzido pela artista Tamara Faifman, percorre o corpo dos performers que conduzem o movimento e a poesia, gerando assim um seralinhado. Nesta performance, a pele é tanto texto, quanto suporte para a poesia que carrega marcas e histórias de alegrias, de tristezas, de preconceitos e de lutas. Para a performance, serão convidadas as mulheres da Casa Sem Preconceito, que passarão por uma vivência de sensibilização antes da realização da performance.
 
A Casa sem Preconceitos – Reduzindo Danos e Promovendo a Cidadania é uma instituição sem fins lucrativos de Campinas e tem o objetivo de oferecer oportunidades para integrantes da comunidade LBGTQI+ em situação de rua, para que possam vivenciar a experiência de construir uma casa coletiva, reconstruindo seus sonhos.

4/12, domingo, das 14h às 15h
Sem retirada de ingressos


Jundiaí

vivência
Saúde e sexualidade: da prevenção ao prazer
Com a terapeuta Fernanda Perlatti

O encontro aborda os princípios de equilíbrio ensinados pela Ayurveda com o foco na promoção da saúde sexual e a prevenção das infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). A medicina ayurvédica contextualiza a sexualidade e a intimidade como fatores naturais, e como parte essencial da vida do indivíduo. A atividade busca resgatar do autocuidado, conhecer e reconhecer seu próprio corpo, entender e exercitar suas funções corporais por meio de exercícios que proporcionem melhora da força da região do quadril e musculaturas estabilizadoras, e principalmente, discutindo sobre comportamento, cultura e os cuidados com a saúde sexual.

Fernanda Perlatti é Yogaterapeuta Hormonal para Mulheres e Homens. Terapeuta Ayurvédica formada pela Escola Yoga Brahma Vidialaya- Brasil/India. Conduz mentorias individuais e retiros para mulheres que buscam a reconexão com sua sexualidade, sensualidade, sua libido e seus sagrados saberes.

25/11, sexta, das 13h30 às 14h30 e das 16h às 17h30
1/12, quinta, das 10h às 11h30
Não recomendado para menores de 16 anos – Autoclassificação
Inscrições no local.


Piracicaba

vídeodebate
Sangro e Um beijo para Sofia

Sangro
Brasil (SP) | 2019 | 7 min
Diretor: Tiago Minamisawa, Bruno H Castro, Guto BR (Co-director)

Inspirado em uma história real, o filme é a confissão íntima de uma pessoa que vive com HIV. Turbilhão de sentimentos. As primeiras sensações. Uma tentativa de desmistificar questões que sobrevivem no imaginário social em relação ao vírus.

Um beijo para Sofia
Brasil (SP) | 2018 | 16 min
Diretor: Calleb Jangrossi
Elenco: Ana Sophia Delicato, Caio Laranjeira, Fernanda Viacava

Sofia é uma criança soropositivo, que com ajuda de sua mãe e o apoio de seu melhor amigo Davi, precisará enfrentar problemas nunca confrontados em sua infância. Entre medicações e unicórnios ela descobrirá uma amizade transformadora.


Após as exibições, bate papo com os diretores Tiago Minamisawa e Calleb Jangrossi.

6/12, terça, das 20h às 21h30
Não recomendado para menores de 14 anos – Autoclassificação
Distribuição de ingressos com 1h de antecedência.


Registro

oficina
(Re)leituras e (Re)construções – oficina de investigação de cena
Com a Coletiva Loka de Efavirenz

Convite para investigar as relações entre texto e cena, buscando caminhos de construção cênica a partir da comunicação de uma ideia central. O objetivo é despertar as capacidades cognitivas e criativas, incentivando o pensamento de síntese como caminho de conexão e comunicação.

29 e 30/11, terça e quarta, das 15h às 17h
Entrega de senhas no local com 30 minutos de antecedência.


vivência
(Re)leituras e (Re)construções – A construção subjetiva do estigma
Com a Coletiva Loka de Efavirenz

Duas pessoas da Coletiva Loka de Efavirenz abrem debate sobre a construção do estigma a partir do início da epidemia de Aids no Brasil, especificando quais pessoas são mais atingidas a partir do recorte de raça e gênero. Como a estigmatização dessa população leva à tentativa de criminalização da transmissão do HIV/Aids e como o movimento social tem atuado no enfrentamento à essa questão, além de elucidados os possíveis caminhos de enfrentamento dos estigmas. Por meio de experiências da atuação da própria coletiva será elaborado um debate sobre a potência da atuação artística.

30/11, quarta, das 19h às 20h
Entrega de senhas no local com 30 minutos de antecedência

Ribeirão Preto

bate-papo
ISTs e HIV/Aids: prevenção e quebra de preconceito
Com Carlos Henrique, educador do Sesc Ribeirão Preto
A roda propõe a discussão e reflexão sobre ISTs e HIV/Aids, compartilhando informações de saúde e experiências de vida para despertar a criação de novos imaginários que possibilitem a quebra de estigmas e preconceitos.

01/12, quinta, às 17h
Sem retirada de ingressos


Rio Preto

palestra
HIV Ontem, hoje e amanhã: Por que a sociedade não acompanhou a medicina?
Com o médico Jairo Bouer e a produtora Lua Mansano

A prevenção e o tratamento do Hiv/Aids se modernizaram ao longo do tempo, no entanto as pessoas que vivem com HIV ainda sofrem com estigmas e vulnerabilidades sociais que criam obstáculos para uma vida plena e desestabilizam principalmente a saúde mental. Essa palestra abordará as evoluções e conquistas relacionadas a doença e o que ainda precisa ser superado.

29/11, terça, das 19h30 às 21h30
Sem retirada de ingressos


exibição e bate-papo
Envelhecimento Positivo
Com a infectologista Delzi Vinha Nunes

Entre 2007 e 2019, o número de novos casos de HIV em pessoas acima de 60 anos disparou: o aumento foi de 354%. O que explica isso? Como reverter este avanço? Após a exibição do filme nacional “Os Primeiros Soldados”, um bate-papo abordará prevenção, tratamento e como é viver com HIV após os 60 anos.

30/11, quarta, das 14h às 17h
Não recomendado para menores de 16 anos
Sem retirada de ingressos


exibição e bate-papo
Os Primeiros Soldados
Dir: Rodrigo de Oliveira. Brasil, 2021, 107min. Nacional.

No Réveillon de 1983, um grupo de jovens capixabas celebram o ano novo sem ter ideia de que, em breve, sentirão os sinais de uma epidemia ainda desconhecida. O filme acompanha a formação de uma comunidade ao redor do futuro incerto e da falta de informação. Após a exibição, haverá bate-papo com o diretor Rodrigo de Oluveira e o escritor José Silvério Trevisan.

30/11, quarta, das 19h às 21h
Não recomendado para menores de 16 anos
Retirada de ingressos com 30 minutos de antecedência


exibição e bate-papo
E se der positivo? Como prevenir e como viver
Com a poetisa Marina Vergueiro e o infectologista Renato Ferneda

As formas de prevenir o HIV vão muito além do uso de preservativo, com alternativas que podem ser combinadas para trazer uma proteção mais ampla. Porém, e se mesmo assim o teste der positivo? Como fica a vida depois do resultado? Após a exibição do filme nacional “Boa Sorte”, um bate-papo apresentará como é viver com HIV em 2022 e quais são as estratégias de prevenção.

1/12, quinta, das 14h às 17h
Não recomendado para menores de 12 anos
Sem retirada de ingressos


espetáculo
A doença do outro
Com Ronaldo Serruya

Um ator-palestrante analisa a história social de uma doença sem paradigmas na humanidade: a aids. Entre experiências pessoais, imagens do cinema e estigmas, ele se rebela contra as tentativas de controle e o silêncio imposto aos corpos positivos. A peça-manifesto parte do livro “A doença e suas metáforas”, da ensaísta e filósofa Susan Sontag, e será seguida de bate-papo com o ator.
Ronaldo Serruya é ator e dramaturgo do Grupo XIX de teatro (SP) e, 2009, fundou o Teatro Kunyn (SP) com a proposta de discutir a questão queer nas artes cênicas. Em 2016, foi indicado ao APCA 2016 de Melhor Peça pelo espetáculo “Orgia ou de como os corpos podem substituir as ideias”, onde atua e assina a dramaturgia. Também desde 2016, pesquisa e estuda as relações entre arte e HIV/AIDS, criando e idealizando o projeto “Como eliminar monstros: discursos artísticos sobre HIV/AIDS”.

1/12, quinta, das 20h30 às 22h30
Não recomendado para menores de 14 anos
Retirada de ingressos com 30 minutos de antecedência


show
Somos Tão Jovens
Com Gaê

Neste show, Gaê retoma a história da Aids no Brasil por meio de dois artistas que viveram com HIV: Renato Russo e Cazuza. Com uma toada roqueira que aciona caminhos saudosos com “Bete Balanço” e “Tempo Perdido”, também transporta o público ao presente com suas composições autorais. A apresentação celebra os artistas que vivem com HIV, lembrando que, para além da dor, a luta contra o HIV também trouxe conquistas e resiliência.

4/12, domingo, das 17h às 18h
Livre – Sem retirada de ingressos


Santos

bate-papo
Religiões afro-brasileiras, políticas de saúde e a resposta à epidemia de Aids
Com o Prof. Dr. Luís Eduardo Batista

O encontro propõe discutir como a tradição africana interage com o conhecimento da saúde e como o espaço religioso pode ser um espaço de acolhimento e cuidado. Aborda também como ações sincronizadas de prevenção, diagnóstico e tratamento adequado às IST’s/Aids, com informação adequada conecta o saber ancestral dos Terreiros ao saber considerado oficial.
Propõe estabelecer correlação entre as religiões afro-brasileiras e o sistema de saúde e apresentar experiências eficazes e eficientes realizadas por gestores municipais para consolidar a relação com a comunidade com o sistema de saúde, promovendo a universalização, a integralidade e a equidade.

1/12, quinta, das 20h às 22h
Sem retirada de ingressos


São José dos Campos

intervenção
Prevenir é amar
Com Eduardo Santhana e Claudia Santhana

De dentro de envelopes coloridos surgem cartões postais com dados recentes sobre Aids no mundo, provocando nos participantes reflexões sobre a importância da prevenção, enquanto um casal recita poesias e entoa trechos de canções de artísticas que foram vítimas desta doença.

3/12, sábado, das 10h30 às 16h
Não recomendado para menores de 10 anos


Taubaté

vivência
Para Maiores
Com BarONG

Bate-papo e atendimento direcionado ao público idoso, que busca a reflexão sobre sexualidade, amor, sensualidade, estigmas e preconceitos na terceira idade. Em unidade móvel, a BarONG promove a saúde sexual e reprodutiva, a qualidade de vida das PVHA (Pessoas Vivendo com HIV/Aids) e a redução à incidência de IST/HIV/AIDS por meio da intervenção de profissionais da área de saúde, psicólogos, enfermeiros, agentes de saúde comunitária, assistente social e educadores.

Dia 2/12, sexta
Não recomendado para menores de 18 anos
Sem retirada de ingressos

Atividades | das 14h às 20h
– Orientações sobre saúde sexual e reprodutiva com equipe multidisciplinar
– Testagem de ISTs
– Oferta de insumos de prevenção as ISTs

Bate-papo | das 15h às 16h



Conteúdo relacionado

Utilizamos cookies essenciais, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para personalizar e aprimorar sua experiência neste site. Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.