Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

BrincaYoga em família: a oportunidade de fortalecer vínculos

Cenas da vivência em família <br> Foto: Divulgação
Cenas da vivência em família
Foto: Divulgação

Quem disse que precisa entender de yoga para começar a praticar? Adepta da prática, Renata von Poser criou o BrincaYoga pensando no público infantil e, principalmente, criando uma vivência inspiradora para muitos pais. É domingo, 27/jul, no Sesc Santo Amaro!

Você pode não imaginar, mas o yoga também pode ser praticado em família. Pelo menos, este é um dos objetivos do BrincaYoga, idealizado pela educadora e professora de yoga Renata von Poser.Por meio de brincadeiras corporais, música e trabalho em roda, é possível vivenciar um pouco desta prática milenar. Elementos da natureza e posturas com nomes de animais são algumas das técnicas utilizadas por Renata para apresentar o yoga aos pequenos e aos seus familiares.

Segundo Renata, “a vivência desta atividade é principalmente para a família, e não só para as crianças. A busca está em fortalecer o vínculo, como respirar juntos e brincar juntos”. Desde 2005, Renata vem trabalhando e aperfeiçoando seu trabalho e a relação entre a prática e as crianças. “Eu dou aula de formação também, e muitos pais não conseguem ensinar seus filhos porque não sabem como brincar com eles”, afirma a educadora, Mestre em Educação Social pela Universidade de Sevilha, Espanha.

A EOnline conversou com a professora, e ficou claro o porquê de o público sempre terminar a oficina com um sorriso no rosto. Confira abaixo os melhores trechos da entrevista:

EOnline: Como foi pensada a criação do BrincaYoga, e sua relação entre o yoga e os pequenos?
Renata von Poser: Eu já trabalhava com yoga e também com educação, então para mim foi um movimento natural. As famílias às vezes não sabem como brincar junto com seus filhos, ou não dispõem de tempo para isso. Por isso, nesta atividade o foco está em estreitar os laços. O yoga infantil acontece muito com as brincadeiras, não é uma aula de yoga para adultos adaptada às crianças. A ideia é que a criança e o adulto fiquem juntos, em grupo, fortalecendo vínculos e trabalhando a questão emocional. Em alguns momentos, técnicas de meditação e relaxamento do yoga são usadas para mexer com as emoções com as quais as crianças muitas vezes não sabem lidar. Esta oficina é feita a serviço da boa convivência familiar, este é o grande diferencial.

EOnline: Qual a importância da participação das crianças neste tipo de vivência?
R.V.P: É importante, principalmente, para a inclusão familiar, para que os pais e seus filhos deem as mãos, sorriam juntos. As crianças, atualmente, estão cada vez mais inseridas no mundo do adulto. Muitas vezes elas querem escutar músicas de adulto... “A canoa virou” parece não ser mais atrativa para muitas crianças pequenas. Nesta oficina, existem muitos benefícios pontuais para o público infantil, porém o maior deles é - com certeza - a união familiar. É o momento vivenciado em conjunto: olho no olho, mão do filho no coração da mãe, entrar no universo um do outro. Essa uma hora de oficina é a conexão dos pais com os filhos. O celebrar em família, aprender novos jogos, é sentar e brincar.. Para muitos pais, é ainda aprender a brincar.

EOnline: Como você apresenta e desenvolve o interesse dos pequenos pelo yoga?
R.V.P:  O principal foco são as brincadeiras, e o yoga está inserido nessas brincadeiras. Quando peço para eles pararem, eles terão que parar em uma postura do yoga. Vou introduzindo as posturas, mas a linguagem é completamente lúdica. Isso é o mais importante: a ludicidade da vivência. É assim que se torna possível transmitir os ensinamentos do yoga. Compartilhar materiais, esperar o tempo do outro, praticar a não violência e a veracidade, que são todos elementos puros do yoga.

EOnline: O que você deixaria como sugestão para os pais que querem desenvolver e estimular os princípios envoltos na prática, como a concentração e o autoconhecimento? Qual abordagem os pais podem tentar?
R.V.P: As crianças aprendem brincando. Em brincadeiras de “vamos ver quem ganha”, por exemplo, tem que saber brincar. É melhor comprar menos brinquedos e brincar mais ao vivo e junto de seu filho. A prática espiritual também pode ser transmitida por meio de contações de histórias com nomes como Mahatma Gandhi ou Jesus, que inspiram e transmitem valores importantes. Meu trabalho também vem do que eu aprendo com minha filha de 4 anos. Hoje, a parentalidade é o caminho para o desenvolvimento. Quais valores eu vou desenvolver em meus filhos? Por que muitas vezes repetimos padrões, sem nem questionar, como beliscões ou castigos? O que estou querendo ensinar ou transmitir, você tem isso claro? O que estamos construindo? Por que as pessoas hoje em dia não brincam? Muitos adultos estão com o coração fechado, por isso não sabem lidar com as reações emocionais de seus filhos. O BrincaYoga também é um curso para educar as emoções. Muitas questões vêm à tona, como a criança esquecida dentro do adulto. Vejo resultados muito bonitos nos lugares por onde tenho passado, é um despertar muito grande. É uma oficina para o adulto, mas também para a criança saber que os pais estão ali ao lado, para brincar com eles. É um trabalho de grupo, de ensinar em conjunto.

 

 

Outras programações