Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Artes Cênicas para todos os gostos

Cena da peça O Segredo da Arca de Trancoso <br> Foto: Alessandra Nohvais
Cena da peça O Segredo da Arca de Trancoso
Foto: Alessandra Nohvais

Teatro e circo para crianças, jovens e adultos: 15 unidades do Sesc recebem, em agosto, a 17ª edição do Palco Giratório

Entre os dias 8 e 31 de agosto, companhias de 14 estados brasileiros se apresentam em onze unidades do Sesc na capital, além de Osasco, Santo André, São Caetano do Sul e Sorocaba. Teatro de rua, teatro infantil e adulto, circo e dança compõem a programação do festival, que neste ano conta com 21 espetáculos.
Para ajudar você a se programar, a EOnline traz um resumo da 17ª edição do Palco Giratório. Depois de escolher tudo o que vai assistir, informe-se sobre horários e valores dos ingressos aqui.

Sobre os espetáculos

Abrindo o Palco Giratório, nos dias 8 e 9, Barrica Poráguabaixo conta a história de uma palhaça que sonha em um dia conhecer a praia. O espetáculo da Palhaça Barrica, de Chapecó (RS), usa caretas e objetos simples como boias, piscina inflável e guarda-chuva para divertir o público do Sesc Santo Amaro.

Nos dias 12 e 13, o grupo Peleja (PE) apresenta Gaiola de Moscas, no Sesc Bom Retiro, comédia adaptada de um texto do escritor Mia Couto. É também no Bom Retiro que, nos dias 15 e 16, o espetáculo Uma flor de dama, do coletivo As Travestidas (CE), desnuda a vida de uma travesti e revela as dificuldades enfrentadas, os conflitos pessoais, os amores, as desilusões e o preconceito.

A companhia paulista Solas de Vento estará em Sorocaba com a peça Homens de solas de vento. A história de dois viajantes que ficam retidos na aduana e passam a viver em um saguão será encenada nos dias 12 e 13.  

O Sesc Belenzinho recebe a Bahia e o Mato Grosso do Sul no Palco Giratório. Primeiro, o espetáculo Plagium?, da Cia. Dançurbana (MS), nos dias 12 e 13,  apropria-se de recortes de obras de diferentes companhias de dança do Brasil para criar um espetáculo particular. Já o espetáculo de teatro Sargento Getúlio, do Teatro Nu (BA), dias 28 e 29, trata-se de adaptação de um dos maiores "brasilianistas", que recentemente nos deixou: a obra homônima de João Ubaldo Ribeiro conta a história de um rude militar incumbido de transportar um prisioneiro e inimigo político de seu chefe.

Inspirada em Beckett, a Cia Pessoal de Teatro apresenta, no Sesc Pompeia, um pouco da produção teatral de Cuiabá (MT), nos dias 14 e 15. O espetáculo Cidade dos Outros fala da circularidade da vida, da inapetência para a ação e da eterna espera pelo maná divino. Do Rio de Janeiro, também no Pompeia, o espetáculo Inaptos?...A que se destinam?  marca os 25 anos do grupo Teatro de Anônimo, dedicado ao universo da comicidade. Apresentações nos dias 20 e 21.

No Sesc Interlagos, O segredo da arca de Trancoso  com o Grupo Vilavox (BA) acontece nos dias 30 e 31. Inspirado no universo dos contos orais brasileiros, o espetáculo utiliza técnicas de perna de pau, máscaras e músicas originais para contar a história de um menino encarregado de levar uma arca de madeira até um local muito distante.

A história de amor juvenil mais encenada da história é transposta para um terreiro de reisado, festa típica do regionalismo nordestino, na peça Romeu e Julieta – O encontro de Shakespeare com a cultura popular. O espetáculo do Grupo Garajal (CE) será encenado nos dias 21 e 22, em Osasco.  

De Minas Gerais para o Sesc Vila Mariana: nos dias 23 e 24, o Grupo Oriundo de Teatro apresenta O Mistério da Bomba H_, uma fábula sobre o embate entre frangos e perus que movimentam Galinópolis e seus habitantes.

Uma história sem vilões nem mocinhos, no Sesc Santana, mostra que o conceito de ‘herói’ hoje em dia está atrelado a ser quem você é e fazer aquilo que quiser. É esse o tema da peça Menu de Heróis, do Núcleo do Dirceu (PI), com apresentações nos dias 23 e 24.

Dezena de executivos, cobertos de argila e de olhos vendados, misturam-se aos pedestres, desestabilizando o fluxo cotidiano da cidade. A intervenção urbana Cegos, dos artistas do Desvio Coletivo (SP), acontece dia 25 na Praça do Carmo, próxima ao Sesc Carmo. No dia anterior, 24, o Sesc Pinheiros realiza uma oficina que prepara seus participantes para vivenciar a intervenção.

De Tocantins para o Sesc Itaquera, Do Repente - do grupo Lamira Artes Cênicas - retira a dança e o teatro dos espaços convencionais e, ao ar livre, apresenta um espetáculo cênico que relaciona o universo do Romanceiro Popular Nordestino ao contexto urbano e globalizado das grandes cidades, com personagens como o poeta cantador, o cordelista, o calungueiro, entre outras figuras. A primeira apresentação acontece em Itaquera no dia 24. Já no dia 25, o Sesc Consolação leva o espetáculo à Praça da República.

É também no Consolação que o experimento coreográfico Qualquer coisa a gente muda vai celebrar os 85 anos da bailarina e coreógrafa Angel Vianna – dos quais, diga-se de passagem, 66 dedicados inteiramente à dança. A direção é de João Saldanha, com apresentações nos dias 27 e 28.

Em Santana, a encenação do grupo Magiluth (PE) conta a história de Ivonete, que, ao se tornar viúva, decide manter-se fiel ao finado, sendo ‘honesta’ a partir da conduta de não se sentar mais. Viúva, Porém Honesta, texto de Nelson Rodrigues, será apresentado nos dias 26 e 27.

Labirinto, da companhia carioca Alfândega 88, tem textos do autor gaúcho José Joaquim de Campos Leão. Sua obra antecipa questões como liberdade sexual, emancipação feminina e outras que continuam contundentes e atuais. As apresentações acontecem no Sesc Santo André, nos dias 27 e 28.  

Em Santo Amaro (dia 30) e Santo André (31) a Cia. Gente Falante (RS) apresenta Louça Cinderella . O teatro de objetos é uma adaptação dos contos dos Irmãos Grimm, em que uma xícara de louça assume o papel principal.

Para encerrar a 17ª edição do Palco Giratório, o Sesc São Caetano recebe o Coletivo de Teatro Alfenin (PB) com a peça O deus da fortuna. Dias 30 e 31, a parábola vai narrar a história do Senhor Wang, um proprietário de terras na China Imperial afundado em dívidas que se vê obrigado a vender a própria filha a seu credor para amortizar a dívida.

Ingressos

Para alguns espetáculos do Palco Giratório, não é necessário comprar ingressos. Informe-se melhor aqui. Já para as outras apresentações, não haverá venda online, apenas presencial. A venda para todas as atividades do Palco Giratório abre no dia 30/7, apenas nas bilheterias da Rede Sesc, a partir das 17h30. Os valores variam entre $5,00 (comerciários), R$ 10,00 (usuários e demais categorias nessa faixa) e R$ 20,00 (outros). Crianças de até 12 anos não pagam, mas precisam retirar ingressos.

Sobre o Circuito Palco Giratório

Projeto do Sesc, percorre os estados do Brasil durante todo o ano para promover a difusão cultural e o desenvolvimento das artes cênicas, democratizar o acesso à produção artística, promover a descentralização e o intercâmbio teatral por meio de atividades como espetáculos, manifestações culturais, oficinas, debates e palestras.

Mais

Site do projeto

 

 

o que: Palco Giratório 2014
quando:

8 a 31/ago

onde:

Diversas unidades do Sesc São Paulo

valores: Os valores variam entre $5,00 (comerciários), R$ 10,00 (usuários e demais categorias nessa faixa) e R$ 20,00 (outros). Crianças de até 12 anos não pagam, mas precisam retirar ingressos

 

Outras programações