Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Água livre, leve e solta

Imagine aquela sensação refrescante de degustar um copo de água, gole a gole, em um dia de calor. Ou mesmo no inverno, aliviando a garganta incomodada pelo ar seco. Beber água é simples, necessário e gostoso.

E quando você está na rua e bate aquela sede? Você é do time dos que compram uma garrafinha ou é daqueles que já andam preparados com sua própria garrafa durável? Será que você bebe menos água do que precisa porque tem que pagar por ela? E no caso da garrafa descartável, o que acontece com ela quando não é descartada corretamente? Será que só reciclar é a solução para os problemas gerados pelos plásticos e outros materiais descartáveis de uso único?

São muitas perguntas que surgem de um ato tão corriqueiro quanto matar a sede. Levando em consideração as dimensões socioambiental, educativa, de cidadania e saúde envolvidas nesta questão, o Sesc São Paulo está ampliando a oferta de água filtrada e gratuita em todas as suas Unidades no Estado

Essa ação faz parte da campanha "Água de Beber", que também contempla o encerramento da venda de água engarrafada sem gás em todas as Unidades. Com esta mudança, estima-se que deixarão de ser geradas aproximadamente 2 milhões de garrafas plásticas por ano no Sesc São Paulo. Além de diminuir a geração de resíduos, a ação considera que a água é um bem natural comum, essencial para a vida e fundamental para a promoção da saúde.

 

 

Como oferecer água à vontade?


Bebedouro automático em uso. Foto: Matheus José Maria

 

Nossos bebedouros sempre foram parceiros da galera da garrafa durável e dos que se hidratam à moda antiga, direto do pequeno jato d'água que permite matar a sede sem precisar de recipiente nenhum. A partir de agora ficou ainda mais fácil encontrar água disponível nas Unidades. 

O que acontece é que, para reduzir o volume de resíduos gerados, paramos de comercializar garrafinhas de água sem gás nas nossas áreas de alimentação. As maiores transformações necessárias foram as instalações de purificadores para uso coletivo nestes espaços e a disponibilização de copos duráveis para quem não estiver com seu utensílio pessoal. 

Sabe quando você precisa fazer uma reforma em casa? Por aqui a gente passou por algo parecido na hora de planejar as mudanças estruturais nos espaços. Foi necessário, por exemplo, verificar se haviam  pontos de energia e de abastecimento de água para executar as mudanças necessárias. Também precisamos calcular a quantidade de copos adequada e cuidar do armazenamento e higienização desses recipientes. Nas Comedorias, os copos retornáveis estão disponíveis ao lado dos bebedouros, e após o uso, devem ser devolvidos nos pontos indicados. 

Mudanças de atitudes necessitam de empenho, não é mesmo? Nós nos preparamos para oferecer essa água gratuita e convidamos você a passar a ter como companheiro de todas as horas seu utensílio pessoal para se hidratar.

Pode ser um copinho retrátil, que cabe em qualquer bolsa ou mochila, ou uma garrafa durável, para abastecer e sair tomando por aí. O importante é encontrar um que funcione pra você e que tenha a sua cara.

Um passo de cada vez


Frequentadoras do Sesc Guarulhos, Unidade piloto da ação. Foto: Matheus José Maria

 

No Sesc Guarulhos foi desenvolvido um projeto piloto para a ação. A unidade foi inaugurada em maio de 2019 com todos os pontos necessários para a oferta de água gratuita. Para avaliar o impacto e fornecer elementos para a ampliação da ação nas demais Unidades, em um primeiro momento a água engarrafada não foi divulgada no cardápio da Comedoria, sendo disponibilizada apenas sob demanda. Essa experiência surtiu um efeito considerável no consumo de água engarrafada e trouxe elementos importantes para que fosse possível operacionalizar o fim da venda de garrafas de água sem gás em toda a rede. O Sesc Campinas foi a primeira unidade a eliminar completamente a comercialização de garrafas de água, em junho de 2019. Desde então, as demais unidades vem realizando a mudança gradativamente e o mês de março de 2020 marca o fim da venda em todo o estado. 

Água da boa!


Bebedouro no Sesc 24 de Maio. Foto: Matheus José Maria

 

Assim como cuidamos da qualidade e segurança de tudo que é servido nas Comedorias, com a água não é diferente. Os filtros e purificadores estão sempre com a manutenção em dia, com higienização realizada periodicamente, de acordo com a legislação. Além disso, todas as unidades passam por análises de qualidade e potabilidade da água dos bebedouros.

Por que mudar?


Família utilizando copo durável para beber água durante atividade. Foto: Matheus José Maria.

 

De todo lixo gerado pela humanidade, 10% é plástico. De todo o plástico gerado, apenas 9% é reciclado; 40% foi usado uma única vez e, em seguida, descartado.Esses são os dados  do Programa de Meio Ambiente da ONU. 

Desde 2010, a Assembleia Geral das Nações Unidas, reconheceu o direito ao acesso à água potável e ao saneamento como direito humano essencial ao pleno desfrute da vida. Atualmente, no Brasil, o Senado discute a aprovação da PEC que inclui, na Constituição Federal, o acesso à água potável entre os direitos e garantias fundamentais.

Paralelo a isso, a atual situação do lixo no mar tem sido noticiada, com mais ênfase, nos últimos três anos. Em 2017, a ONU promoveu a Conferência Sobre Oceanos, para apoiar a implementação do Objetivo do Desenvolvimento Sustentável 14 (ODS), que tem como meta conservar e utilizar de forma sustentável os oceanos, os mares e os recursos marinhos. Nos oceanos, de acordo com a ONU, 90% do lixo é composto por plástico. A estimativa é que em 2050 a quantidade de plásticos na água supere a de peixes.

A reciclagem costuma ser colocada como a principal solução para conter a poluição no planeta. Entretanto, além do ato de reciclar causar um impacto ao ambiente, por ser uma atividade industrial, ela não consegue acompanhar o ritmo de consumo e a biocapacidade do planeta, que é a quantidade de área biologicamente produtiva - cultivo, pastagem, floresta e pesca - que pode ser utilizada para atender às necessidades da humanidade, considerando que a Terra precisa de tempo para regenerar os recursos naturais renováveis utilizados. Por isso, mudanças nos padrões de consumo são necessárias para colaborar com a construção de um vida mais sustentável.

**

Você sabia que o Sesc SP tem um programa de minimização e destinação responsável de resíduos, com atividades educativas e parcerias com diversas cooperativas e instituições? Para conhecer mais sobre tudo isso clique no botão abaixo.

Outras programações