Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Muito além dos 12 toques

Foto: Jean Paz
Foto: Jean Paz

O futebol de mesa, popularmente chamado de futebol de botão, fez parte da vida de muita gente.
Com o passar dos anos, ganhou novas modalidades, surgiram federações e o esporte se profissionalizou.
Mas nunca perdeu sua essência.
É um esporte que promove a integração e o jogo limpo.

A origem do esporte

Assim como na aviação, não existe um consenso sobre a origem exata do Futebol de Mesa.
No Brasil, o primeiro registro confiável que se tem conhecimento data de 1917, sendo praticado no América Futebol Clube (RJ). Para quem não sabe, o América é o time do coração do ex-jogador Romário, herói do tetra. Portanto devemos considerar que essa é a versão oficial.

Enquanto uns dizem que o Futebol de Mesa é um esporte genuinamente brasileiro, outros dizem que foi criado na Espanha, em 1900, por um jovem chamado José Huelva Quintero.
Há quem jure de pés juntos que o esporte nasceu na Hungria, também por volta de 1900, ou que a inspiração veio do jogo de pulgas, que surgiu na França e possui mecânica parecida; ou ainda que existem registros do jogo por volta de 1910 na Inglaterra.

Mas os ingleses já são considerados os inventores do futebol. Podem bem deixar esse crédito para a gente.

Outra teoria é que era um jogo disputado por marinheiros, como passatempo em suas longas viagens, e assim teria chegado às cidades portuárias do Brasil.

O mais provável, no entanto, é que tenha sido um jogo criado em diversos lugares do mundo, com formatos semelhantes e de forma espontânea.

Controvérsias à parte, o que todos concordam é que foi o brasileiro Geraldo Cardoso Décourt, quem oficializou a prática quando, em 1930, escreveu um livro de regras para a modalidade, denominado “Regras Officiaes do Foot-Ball Celotex”.

O nome Celotex vem do material utilizado para confeccionar as primeiras mesas de botão.

Por esse motivo, Décourt é considerado o grande criador do Futebol de Mesa no mundo.

 
Materiais de jogo

O esporte podia ser com rodelas de tijolo ou com botões de casaco. Também eram praticados, posteriormente, com tampas de relógio.
Algumas pessoas também utilizavam tampas de embalagens de cosméticos para criar seu time, e até quem os confeccionasse com casca de coco.
Muita gente já jogou com fichas de poker ou telas de ventilação de armários. Discos de ioiô e puxadores de gaveta.
Existem até times feitos com chifres de boi e lanternas de carros.

Graças ao seu sucesso, os fabricantes de brinquedos começaram a fornecer produtos industrializados para a prática do esporte - desde as mesas de jogo até os botões propriamente ditos.


A evolução do esporte

O Futebol de Mesa, também conhecido como Futmesa ou, ludicamente, pelo nome de Futebol de Botão, é um jogo simulado de futebol praticado com botões específicos para o jogo representando os jogadores, que são movidos com o auxílio de uma palheta (ou “batedeira”).

O futebol de botão sempre foi praticado em todo o país, tendo feito parte da infância de enorme parcela dos brasileiros de várias gerações. Seu nome popular deve-se ao material com o qual começou a ser praticado.

Ao longo do tempo, foram utilizados diversos outros materiais, especialmente tampas de relógio, até chegarem nos atuais discos de acrílico torneados.

Hoje os botões tem até “chuteirinhas”que influenciam no seu atrito com a mesa de jogo.

Seu nome de origem é conservado até hoje na linguagem informal. Como esporte, entretanto, é denominado Futebol de Mesa, contando com federações estaduais, nacional e internacional, além de inúmeras ligas em diversos estados.

O Futebol de Mesa surgiu oficialmente em 1962, com a fundação da Federação Paulista de Futebol de Mesa (FPFM). O número de adeptos foi crescendo consideravelmente e, o que era considerado apenas uma brincadeira, em 1988 ganhou status de esporte no Brasil, através do CND - Conselho Nacional de Desportos.

O primeiro campeonato brasileiro foi disputado em 1982, mas não é reconhecido oficialmente. Seu campeão foi outro baluarte do esporte, Antônio Della Torre. A partir de 1989, com o reconhecimento do Futmesa como esporte, o Campeonato Brasileiro começa a ser disputado anualmente e se mantém desde então.

A Confederação Brasileira de Futebol de Mesa (CBFM) é instituída em 1992, com a presença de representantes de São Paulo, Paraná, Amazonas e Pernambuco, com o objetivo de promover, organizar, coordenar e representar as federações de Futebol de Mesa junto aos órgãos oficiais ligados ao esporte.
Além dos diversos campeonatos regionais e estaduais, disputados por todo o Brasil, destacam-se as competições nacionais, como o Campeonato Brasileiro Individual, o Campeonato Brasileiro por Equipes, a Copa do Brasil.

Através de um intercâmbio com os atletas e entidades europeias do esporte, realizado em 2006, começou a realizar-se também o Campeonato Mundial de Futmesa desde de 2009, regularmente disputado de 3 em 3 anos a partir de então, nas modalidades 12 Toques e Sectorball.

Atualmente, existem no Brasil milhares de atletas federados disputando torneios oficiais em 17 estados.

Apesar do esporte ter praticantes nos quatro cantos do mundo e contar com o apoio de alguns clubes de futebol profissional, ainda não é possível para o botonista viver apenas do esporte.

Principais Modalidades

12 Toques:
É a regra mais popular no estado de São Paulo.
Possui esse nome pois cada jogador tem direito a até 12 toques coletivos para chutar a gol. É uma regra bastante dinâmica e a que saem mais gols. Cada partida tem a duração de 20 minutos - 2 tempos de 10 minutos. É jogada com uma bolinha esférica.

3 Toques:
Possui esse nome pois cada jogador tem direito a até 3 toques coletivos para chutar a gol e é a regra mais complexa de todas, além de ser extremamente tática. Cada partida tem a duração de 50 minutos - 2 tempos de 25 minutos. É jogada com uma bolinha esférica.

1 Toque:
Possui duas vertentes: 1 Toque liso e 1 Toque cavado.
Cada jogador tem direito a apenas um toque de cada vez, e é a modalidade mais antiga das oficiais. Ambas as versões são muito táticas. Cada partida tem a duração de 50 minutos - 2 tempos de 25 minutos. Nessa modalidade a bolinha é um disco, ou pastilha.

Dadinho:
É bastante similar à regra 12 Toques; mas o limite é de 9 toques coletivos. Nessa modalidade a bolinha é um cubo, ou dado.
 

História e tradição do Futebol de Mesa na Vila Maria Zélia:

Em meados de 1985, um grupo de botonistas filiados à Federação Paulista de Futebol de Mesa e sob a batuta de Harutiun Muradian, conhecido no meio como Mura, fundou o departamento de Futebol de Mesa da Sociedade Amigos da Vila Maria Zélia.
Desde então o esporte é praticado de forma ininterrupta e já rendeu uma série de títulos ao clube. Além de revelar inúmeros talentos na modalidade.



Em janeiro desse ano, o Centro de Pesquisa e Formação esteve na sede da Sociedade Amigos da Vila Maria Zélia para um papo com o botonista Erismar Ferreira Gomes, que já passou pelo departamento de futebol de mesa do Corinthians e que há mais de 30 anos pratica futebol de mesa na Vila Maria Zélia.


Você sabia...

...que dia 14 de fevereiro é o dia do botonista?

Em 2001, estabeleceu-se o dia 14 de fevereiro, data de nascimento de Geraldo  Décourt, como o dia do botonista.
Uma homenagem digna ao responsável pela criação do esporte e que conquistou o reconhecimento e admiração de uma legião de praticantes pela sua incansável dedicação em colocar esse esporte ao lado dos entretenimentos mais populares do Brasil.

...que na década de 90 uma determinada marca inventou um jogo muito mais real, mas que não vingou?

O tal jogo tinha um campo maior, jogadores com pés que permitiam chutar com efeitos diversos e que tinha tudo para atrair a atenção das crianças e adolescentes que jogavam futebol de botão.
Mas a febre durou pouco e o tal jogo deixou de ser fabricado sem ter deixado muitas saudades. (Até porque era mais caro e as pernas dos jogadores quebravam com uma facilidade absurda).

...que caixinhas de fósforo já foram utilizadas como goleiros?

As mais utilizadas eram da marca Zebra, pelo fato dela ser maior. Para que a caixinha ficasse mais pesadas, eram recheadas com areia, brita ou pregos, e enroladas em folhas de sulfite onde eram aplicadas a bandeira, numero e o  nome do atleta.

...que os botões possuem chuteiras?

Alguns modelos possuem rasgos na base, o que diminui o atrito com a superfície do aglomerado e faz os botões deslizarem ainda mais.

Quer saber mais sobre Futebol de Mesa, ou simplesmente relembrar momentos da sua infância?

O Centro de Pesquisa e Formação te chama para bater uma bolinha na atividade História e Tradição do Futebol de Mesa na Vila Maria Zélia.

Outras programações