Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Verão, Saúde e... felicidade!

Tomar sol, encontrar pessoas, praticar esportes, cair na piscina. O calor do Verão é um convite a sair de casa e se deparar com diversas oportunidades de promover nossa saúde e – por que não? – nossa felicidade. Isso porque pesquisas indicam que a exposição ao sol, os laços sociais, e a prática de atividade física, além de saudáveis, estão diretamente ligadas à produção de substâncias como a serotonina, responsável pela sensação de satisfação e bem-estar.

Para aproveitar o melhor da estação sem arriscar a saúde, alguns cuidados são essenciais. Afinal, fica mais difícil ser feliz quando se tem uma insolação, não é?

Confira as dicas:

É clássico, mas não cansamos de falar: use protetor solar.

Regata, biquíni, shorts... “No verão costumamos ficar mais expostos intencionalmente ao sol, com menor quantidade de roupa (ou seja, mostrando mais o corpo e expondo-o ao Sol) e por mais tempo. Portanto, a atenção deve ser redobrada”, explica Flávia Ravelli, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. A médica destaca que é importante usar protetor solar com FPS de, no mínimo, 30, evitando o horário das 10h às 16h. No caso de praia ou piscina, complementa: “Sempre que a exposição solar envolver atividade aquática, procure protetores resistentes ou muito resistentes à água. A reaplicação deve ser feita a cada 2 horas”.

Os riscos da exposição solar podem ser agudos ou crônicos: “O risco agudo mais conhecido é a queimadura solar, que pode ou não vir acompanhada de dor, insolação, desidratação e febre. Além disso, o Sol pode exacerbar algumas doenças de pele pré-existentes, como acne, rosácea, seborreia e herpes labial. Em relação aos danos crônicos, a exposição solar prolongada pode determinar o aparecimento de manchas, rugas, sulcos, flacidez, perda de textura, viço e amarelamento da pele. Mas a nossa maior preocupação é com o câncer de pele e outras lesões (por exemplo: feridas que sangram e não cicatrizam, nas áreas expostas como braços, face, colo e couro cabeludo)”. Lembramos que o câncer de pele é o tipo mais frequente no Brasil e corresponde a 30% de todos os tumores malignos registrados no país, de acordo com o INCA – Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. 

Que tal um chapéu?

O ideal é associar o protetor solar com chapéus, óculos de sol, camisetas e sombras. “Os chapéus devem ter abas circulares de 6 cm ou mais. Bonés não protegem adequadamente a lateral da face, não sendo as melhores opções. O guarda-sol de nylon deixa passar a maioria da radiação UV, portanto escolha guarda-sóis de lona ou de tecidos mais grossos. Já existem roupas com tecnologia de proteção solar: elas contêm na sua trama substancias que refletem a radiação ultravioleta, oferecendo proteção contínua, uniforme e sem necessidade de reaplicação”, explica Flávia.


Água, sempre!

A transpiração se intensifica nessa época, portanto, ingerir bastante líquidos é importante para garantir o bom funcionamento do organismo. Dê preferência para água, água de coco e sucos naturais e evite refrigerantes e bebidas alcoólicas. 


Olho nas crianças

Além de garantir a reaplicação do protetor solar e a hidratação constante dos pequenos, os responsáveis precisam ficar atentos aos acidentes! Aconteceu um tombo? Machucou a boca? Procure um dentista para avaliar os possíveis danos. Se algum dente quebrar ou sair inteiro, guarde-o em um copo com água filtrada, soro ou leite, e leve imediatamente ao dentista.


Pegue leve na alimentação

Dê preferência a alimentos mais leves e de fácil digestão, incluindo frutas com alto teor de água (como melancia, abacaxi, laranja) e saladas cruas com vegetais variados (alface, agrião, escarola, rabanete, cenoura, pepino, tomate entre outros), pois ajudam na hidratação e trazem a sensação de refrescância.

Alimentos e preparações muito gordurosas (maionese, frituras, feijoada) devem ser evitados, pois sua digestão é mais lenta e acaba demandando maior esforço do organismo. A própria digestão deixa a pessoa mais lenta, pois o fluxo sanguíneo se concentra no estomago para facilitar a digestão. No verão, aquela moleza que dá após uma refeição será ainda maior.

Ao consumir alimentos fora de casa, é importante atentar às condições de preparo. Se for levar alimentos preparados em casa, garanta a refrigeração com o uso de isopores ou caixas térmicas.

*Fonte: Blog do Ministério da Saúde
 

Sai, Zika!

Zika, dengue, chikungunya: as doenças transmitidas pelo Aedes aegypt voltam com vigor no verão. Isso porque a estação chuvosa favorece o acúmulo de água parada, prato cheio para a reprodução do mosquito responsável pela transmissão. Para prevenir as doenças, além de cuidar para não deixar a água acumular em casa, não esqueça o repelente!

Também transmitida por mosquitos, a febre amarela recentemente vem aumentando algumas regiões do país. Se você mora ou vai viajar a regiões onde a doença está presente, é importante vacinar-se. Saiba mais aqui.


Mexa-se

Que tal aproveitar a estação para conhecer novas práticas esportivas? A atividade física regular ajuda a conquistar qualidade de vida e contribui para prevenir diversas doenças, como o diabetes, a hipertensão, entre outros. Até fevereiro, o Sesc Verão traz uma programação intensa, com diversas modalidades para testar, praticar e – quem sabe? – incorporar numa rotina mais saudável! Bora se mexer? 

Outras programações