Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Itinerância da 4ª Mostra Ecofalante

De 8 de setembro a 10 de outubro, acontece a itinerância da 4ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental
De 8 de setembro a 10 de outubro, acontece a itinerância da 4ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental

De 8 de setembro a 10 de outubro, acontece a itinerância da 4ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental.  A programação apresenta filmes nacionais e internacionais que abordam a relação do ser humano com o ambiente. O diferencial da edição de 2015 são as rodas de conversa, debates e intervenções que complementam a exibição dos filmes, visando ampliar o espaço da reflexão sobre os temas socioambientais da atualidade.

As exibições e atividades são gratuitas, organizadas pelas unidades do Sesc na grande São Paulo (São Caetano e Santo André), no litoral (Santos), no interior (Bauru, Catanduva, Piracicaba, Presidente Prudente , Ribeirão Preto, São José dos Campos, Sorocaba e Taubaté) e na capital paulista (Consolação , Campo Limpo, Ipiranga, Itaquera, Interlagos, Pinheiros , Santo Amaro e Vila Mariana).

Fique por dentro da programação que já está disponível no site, e acompanhe os comentários e outras curiosidades dos filmes no facebook. Não esqueça de convidar os amigos para pegar um #cinemaecofalante.

______________________________

Temas dos filmes:

 “Esse ano um dos temas mais presentes foi a questão dos recursos hídricos. Pudemos sentir também que o teor dos filmes são mais positivos, menos dramáticos, apontando mais para soluções”, relatou Chico Guariba, um dos idealizadores do Ecofalante.

Para facilitar a busca por assuntos específicos, a Ecofalante dividiu as produções em temas e categorias abaixo explicados: 

Biodiversidade: A biodiversidade do planeta tem sido ameaçada pela devastação de florestas, secas, enchentes, mudanças climáticas e organismos geneticamente modificados. Grandes empresas têm se destacado no controle de patentes de sementes, dificultando a vida dos agricultores familiares. Os filmes desta temática refletem estas questões, mostrando ao mesmo tempo a beleza da biodiversidade e a necessidade de preservá-la.

Era uma vez uma floresta (Luc Jacquet, FRANÇA, 2013, 78min)

O semeador  (Julie Perron, CANADÁ, 2013, 77min)

Cidades: As cidades do século XXI apresentam vários dilemas, dentre eles talvez o mais gritante seja a a expulsão de comunidades inteiras para locais cada vez mais distantes devido à especulação imobiliária. Mas não só. Os filmes deste eixo abordam ainda este processo de gentrificação e a corrupção envolvidas em obras públicas para megaeventos esportivos, um olhar intimista sobre as favelas pelo mundo e a possível ressignificação e apropriação de espaços nestas megacidades.

Favelas: Cidades do amanhã (Jean-Nicolas Orhon, CANADÁ, 2013, 81min)

Consumo: O que consumimos afeta o equilíbrio do planeta e de nós mesmos. Este é o mote dos filmes deste eixo, que incluem a história por trás do que comemos e usamos, substâncias químicas, produtos de uso diário que estão todo tempo ao nosso redor e até o estrago que nosso lixo eletrônico produz em países subdesenvolvidos.

A Tragédia do Lixo eletrônico (Cosima Dannoritzer, FRANÇA / ESPANHA / REINO UNIDO, 2014, 86min)

O Experimento Humano (Dana Nachman e Don Hardy EUA, 2013, 90min)

Energia: Evidências apontam a necessidade de buscarmos fonte renováveis de geração de energia e abandonar o combustível fóssil. No entanto, apesar do aquecimento global, insistimos na exploração do petróleo e do chamado gás de xisto. Os filmes deste eixo temático tocam nestes pontos e retratam como a mobilização popular pode mudar o rumo deste caminho. E ainda sobre a matriz hídrica e a necessidade de revermos a estratégia de grandes barragens e represas como a melhor alternativa à hidroeletricidade, ao custo do sacrifício da biodiversidade e muitas vezes de tradições e territórios de comunidades inteiras.

Malditas Barragens (Travis Rummel e Ben Knight, EUA, 2014, 87min) 

Povos e lugares: As diferentes formas de interpretar e significar o mundo em que vivemos, que se refletem na cosmogonia das diferentes culturas, estão presentes nos filmes desta temática. Na Groenlândia, em Tuvalu, na Índia, na Sibéria, em Bornéu, o homem reage às alterações que ele inflige à natureza, ou que a natureza inflige a ele, não sem passar por dilemas e sofrimento. O já clássico conflito entre tradição e modernidade está também presente.

Felicidade (Thomas Balmès, FRANÇA / FINLÂNDIA, 2013, 80min)

Thule Tuvalu (Matthias Von Gunten, SUÍÇA, 2014, 96min)

Recursos naturais:
Os efeitos adversos da epifania humana sobre a Terra. A exploração predatória dos recursos naturais desde a colonização, chegando ao neocolonialismo. O continente africano, o que mais sofreu os efeitos desta retirada predatória de recursos, em perspectivas. Além disso, a mobilização contra multinacionais exploradoras de recursos minerais e a água, cortando do sul ao norte a China através de um aqueduto. A transformação e a devastação de territórios por projetos políticos e econômicos.

De Sul a Norte (Antoine Boutet, FRANÇA, 2014, 109min)

Marmato (Mark Grieco, EUA / COLÔMBIA, 2014, 87min)

Competição Latino-Americana:
A Competição Latino-Americana recebeu inscrições de 9 países, dentre curtas e longas, para concorrerem na 4ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental. Doze filmes foram selecionados para exibição. As produções nacionais tiveram aumento significativo na participação: cinco dos filmes escolhidos são brasileiros. Outras nacionalidades contempladas são Argentina, Colômbia, Chile, México e Uruguai. Os melhores filmes escolhidos pelo júri e por voto popular serão premiados.

Brasil S/A (Marcelo Pedroso, BRASIL, 2014, 72min)

H2Omx (José Cohen e Lorenzo Hagerman, MÉXICO, 2013, 80min) 

O Veneno está na mesa 2 (Silvio Tendler, BRASIL, 2014, 70min)

Homenagem:
A Mostra homenageia o cineasta brasileiro Jorge Bodanzky e reúne títulos importantes do moderno documentarismo mundial, como é o caso de “Iracema - Uma Transa Amazônica” (1974, codirigido com e Orlando Senna), ao lado de trabalhos mais recentes, ainda de pouca circulação. No total, são sete obras presentes, de produções dos anos 1970/1980 (como “Jari”, “Terceiro Milênio”), aos mais recentes “A Propósito de Tristes Trópicos” (1990) “Pandemonium” (2010) e “No Meio do Rio, Entre as Árvores” (2010). Complementa a programação um episódio da série “Retratos Brasileiros” (do Canal Brasil), dirigido por Evaldo Mocarzel, abordando a carreira de Jorge Bodanzky.

Pandemonium (Jorge Bodanzky BRASIL, 2010, 52min) 

Sessão especial:

Essa classificação é feita por obras que participaram das edições anteriores da Mostra, mas cujo tema ainda continua atual.

Trashed – Para onde vai nosso lixo? (Candida Brady, REINO UNIDO, 2012, 97min)

Gostou? não deixe de participar na unidade mais próxima.

 

o que: 'Itinerância 4ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental
quando:

De 8 de setembro a 10 de outubro

onde:

Várias unidades do Sesc SP

ingressos:

Gratuito, mas necessário ver em cada unidade como partipar

 

Outras programações