Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Memórias Paulistanas

Quais percepções acerca do tempo as cidades nos mostram? De que modo elas se relacionam com a nossa memória? O que torna um local parte da história e da identidade de um grupo social? E quantos destes locais estão representados na narrativa histórica da cidade? 


A partir desses questionamentos, a Jornada do Patrimônio promove sua quinta edição nos dias 17 e 18 de agosto de 2019, com o objetivo principal de estimular a população a reconhecer os patrimônios históricos e culturais paulistanos que tratam da memória e identidade dos diferentes grupos sociais presentes na cidade. 

A Jornada do Patrimônio é organizada pelo Departamento de Patrimônio Histórico da Prefeitura Municipal de São Paulo, e foi inspirada nas Journées Européennes du Patrimoine, na França, e no Open House, em Nova York (openhousenewyork), nos Estados Unidos. O Sesc participa desde a primeira edição do evento, em 2015, por meio de roteiros, palestras, oficinas e apresentações artísticas. Este ano são 28 atividades promovidas pelas unidades, na capital e região metropolitana, que convidam os participantes a se aproximarem da história e da memória da cidade.

"Os roteiros de memória oferecidos pelo Turismo Social do Sesc buscam levar os participantes a encontrar pontos de identificação direta ou indireta às muitas referências culturais simbólicas presentes na cidade. Memória é um território permanente de disputa e isso é sabido! Os temas dos roteiros buscam apresentar abordagens diversas quanto à memória da cidade. A Jornada do Patrimônio é um momento importante de ampliação e intensificação do sentido de pertencimento, da vinculação afetiva à cidade e do respeito e valorização da diversidade cultural" , destaca Cristina Fongaro, assistente técnica de Turismo Social do Sesc.

O entorno das unidades do Sesc foram objetos de pesquisa para o desenvolvimento das atividades, como no roteiro “O grande quarteirão”, que percorre a região do Sesc Bom Retiro destacando a  concentração de espaços culturais na região. Já no Sesc Santo Amaro a atividade "Memórias de Santo Amaro" visita alguns pontos turísticos do bairro revelando um pouco mais de sua história, seus personagens e curiosidades.

Imagem: O Sesc Bom Retiro (esquerda), Museu da Energia (direita) e O Liceu Sagrado Coração de Jesus (fundo) | Ilustração: João Galera

 

O Sesc Vila Mariana explora a arquitetura e a história do bairro por meio de uma caminhada por suas ruas e uma visita mediada na Casa Modernista no roteiro "Memórias da Vila Mariana". Com este mesmo olhar atento para as dinâmicas da cidade o Sesc Santana sai em busca de "Espaços de Brincadeiras e Memórias" na Zona Norte da cidade.


Imagem: Espaços de Brincar| Foto: Acervo Sesc SP


O diálogo entre os conceitos de memória e esquecimento é uma temática muito presente nas atividades. Como no passeio “Uma Paulista, Infinitas Vistas  Passeio: Memórias Ocultas”, realizado pelo Sesc Avenida Paulista, onde são visitados os vestígios materiais e imateriais da vida de trabalhadores dos antigos casarões na região e do projeto não-realizado da criação de um museu na antiga mansão Matarazzo. A memória do tempo, as transformações e a importância da presença do Sesc na região são retratados artisticamente na intervenção "O Poeta e a Poetisa - Fragmentos da Avenida Paulista", onde os personagens dialogam com o público, com muita música e um álbum repleto de lembranças.

Nesta proposta de reflexão e crítica aos processos que culminaram no cenário urbano atual, o Sesc São Caetano realiza o percurso "Tamanduateí encontra São Caetano" que acompanha o curso do rio até o limite das cidades de São Paulo e São Caetano do Sul, discutindo a expansão do núcleo histórico da cidade e o escoamento da produção dos tijolos de São Caetano.

Imagem 1: Lavadeiras no Rio Tamanduateí, 1910. Acervo do Instituto Moreira Salles. 
Imagem 2: Vista do Rio Tamanduateí com Mercado dos Caipiras ao fundo, fim do século XIX. Arquivo Estadão. 

 

As memórias do centro de São Paulo estão representadas no roteiro “Memórias Paulistanas” do Sesc Ipiranga, que realiza um passeio com um olhar afetivo sobre o passado da cidade. Mas a programação não se concentra somente nas regiões centrais da cidade, ela se espalha pelas áreas mais periféricas em passeios que destacam por exemplo os “Patrimônios da Zona Leste” no Sítio Capão, na Vila Maria Zélia e na Casa do Tatuapé. Uma tecelagem, um orfanato, uma vila operária... o que esses espaços possuem em comum? Que histórias nos contam? Este passeio realizado pelo Sesc Itaquera tem o acompanhamento do grupo Ururay, que irá também exibir na unidade o minidocumentário “Territórios de Ururay”.

 

 

O Sesc Guarulhos visita Perus para contar a história do “Quilombaque”, uma organização criada em 2005 por iniciativa de um grupo de jovens deste bairro periférico no noroeste da cidade. O envolvimento com a arte, característica presente, se revelou uma alternativa de enfrentamento da violência e gentrificação vivenciada pelos jovens da região. 

 

 

Outra memória de resistência por meio da arte e cultura é contada pelo Sesc Guarulhos no passeio ao Centro Cultural e Quilombo Urbano Aparelha Luzia, fundado em abril de 2016. A Aparelha foi criada pela ativista, artista, educadora e deputada estadual por São Paulo Erica Malunguinho. Aparelhos eram apartamentos ou casas onde ativistas que resistiam à Ditadura Militar se encontravam clandestinamente, faziam reuniões ou se refugiavam.

 

 

A história dos povos negros na narrativa histórica da cidade tem destaque na programação do Sesc Pinheiros na Jornada do Patrimônio. O passeio “Imprensa Negra como exercício de resistência”, por exemplo, convida o público para uma imersão nas territorialidades desses jornais produzidos pelas populações negras como instrumento de luta pelo direito a memória, ao pertencimento e a identidade.  As “Dimensões materiais e imateriais da ancestralidade Afro-paulistana” são contempladas numa atividade que propõe outro olhar sobre a história da cidade revelando os patrimônios negros, materiais e imateriais. 

Também numa proposta de "Descolonização do olhar" o Sesc Carmo realiza uma visita ao Museu da Pessoa, Museu Afro e ao Abraço Cultural, para apresentar histórias de pessoas que vivem no Brasil em algum fluxo migratório, sejam imigrantes, sejam refugiados. A atividade conta a mediação da Cia Azenha de Teatro, que propõe um enfoque não na jornada migratória, mas na pessoa: suas habilidades, conhecimentos, gostos, medos, ideias e sonhos.

 

 

No Sesc Consolação a atividade “Tradição e Memória do Samba de Roda” apresenta o grupo Garoa do Recôncavo com um repertório dos antigos Mestres a partir do legado de Mestre Ananias. O sotaque das vozes e da harmonia traz uma atmosfera dos valores da sabedoria popular ritmada no samba chula, de estiva. Por meio da história da Capoeira e de outras práticas tradicionais, o passeio “Patrimônio Imaterial na Casa Mestre Ananias” aborda o encantamento das prosas, da culinária, dos cantos de trabalho, da música do berimbau e da batucada.

 

Imagem: Casa Mestre Ananias | Foto: Divulgação

 

A Jornada do Patrimônio promove a visitação em vários prédios históricos por toda a cidade de São Paulo durante ao final de semana do evento, e o Sesc Pompeia será um destes locais que promove visitas mediadas com foco na arquitetura e na história. Localizada numa área estratégica da zona oeste da cidade de São Paulo e construída a partir de uma antiga fábrica de tambores, o que lhe conferiu o nome de Fábrica da Pompeia, a unidade foi projetada pela arquiteta italiana Lina Bo Bardi. Em março de 2015 os prédios do Sesc Pompeia tornaram-se patrimônio cultural protegido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Valendo-se da biografia de Lina Bo Bardi, serão feitas  4 visitas patrimoniais tematizadas: "Gênero e Cidade", Arquitetura e Autoritarismos, Trabalho e Arquitetura, Nordeste e Povo Brasileiro

 

Imagem: Sesc Pompeia | Foto: Leila Yuri Ishikawa

 

Depois de vivenciar tantas memórias paulistanas durante a Jornada do Patrimônio em 2019, é possível registrar esta experiência por meio de uma intervenção artística com uma máquina de escrever na atividade Arquivo Afetivo: Quais Memórias Você Guarda?", ou então materializar estas lembranças em desenhos na atividade "Desenho do Cotidiano Para Sketchers e Iniciantes" ou no encontro "Patrimônio Sketch: o futuro é agora!". Afinal, conhecer mais sobre a história e o passado é preparar melhor os passos rumo ao futuro, é lembrar que as memórias não são estáticas e estão sendo ressignificadas a todo momento. 

 

Imagem: Patrimônio Scketch | Foto: Divulgação

                – Você viaja para reviver seu passado? – era, a esta pergunta,
a pergunta do Khan, que também podia ser formulada da seguinte
maneira: – Você viaja para reencontrar seu futuro?


Trecho do livro "Cidades Invisíveis" de Ítalo Calvino


A Jornada do Patrimônio acontece dias 17 e 18 de agosto de 2019 com uma intensa programação elaborada por diversas instituições que já realizam atividades na cidade ligadas ao patrimônio histórico. As atividades do Sesc na Jornada podem ser conferidas em sescsp.org.br/jornadadopatrimonio e a programação completa do evento pode ser vista em jornadadopatrimonio.prefeitura.sp.gov.br

Outras programações