Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

“Eu sempre lutei para ganhar de mim mesmo, para depois ganhar dos meus reais adversários.”

O ex-tenista e atleta olímpico, Fernando Meligeni, esteve no Sesc Piracicaba para ministrar a oficina Tênis de Quadra que integra a programação do Sesc Verão 2019. Recém-voltado de Férias nos EUA, a atividade foi o primeiro evento do ano para Meligeni e na ocasião, comentou ser um prazer trabalhar com o Sesc e que voltou justamente para realizar essa oficina, ou melhor, “clínica”, como ele mesmo diz.

“Tenho prazer em trabalhar e realizar esse tipo de evento no Sesc, pois aqui tenho a oportunidade de tocar todos os públicos, o que pra mim é o mais gratificante. Sempre fui muito bem tratado, respeitado, querido e reconhecido pelas pessoas, e esses são os motivos que fizeram voltar para realizar essa clínica, pelo carinho que tenho tanto pelo Sesc, tanto pelo esporte, tanto pelo desenvolvimento”.

Meligeni iniciou a atividade com um bate-papo bem descontraído, no qual deixou o público à vontade e respondeu a todas as perguntas. Na sequência, literalmente vestiu a camisa do Sesc Verão e se dedicou a dar atenção a todos, ensinar técnicas e táticas para o público e principalmente bater bola com todos, de adultos a crianças.
Nascido na Argentina, Fernando Meligeni, mais conhecido como “Fininho”, se mudou com sua família para São Paulo quando tinha quatro anos e virou tenista profissional em 1990, optando pela nacionalidade brasileira. Em 2003 foi medalha de ouro dos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, na República Dominicana, ano em que também foi eleito o melhor atleta brasileiro pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil) e recebeu do governo a Medalha Tiradentes por conta de seu “espírito olímpico”. Além disso, foi quarto lugar nos Jogos Olímpicos de Atlanta de 1996, sendo o tenista brasileiro que foi mais longe em uma Olimpíada e esteve entre os 100 melhores do mundo durante dez anos consecutivos.

Na carreira internacional, Fininho conquistou dez títulos ATP Tour, três simples e sete em duplas, além sete Challengers. O ex-tenista foi semifinalista do Grand Slam Roland Garros, em Paris, no ano de 1999. Além desses torneios, Meligeni representou o Brasil por dez anos no principal evento internacional de nações, a Copa Davis, na qual teve doze vitórias e duas participações como capitão da equipe brasileira, em 2005 e 2006.
Fininho se diz apaixonado pelo tênis e conta que é um esporte duro, que há muitos desafios a vencer, desafios dos quais muitas vezes você mesmo é seu próprio adversário e ganhar de si próprio é uma luta constante.

“O grande desafio, adversário no tênis, somos nós mesmos, é muito duro jogar, é um esporte muito solitário, um esporte onde sua cabeça viaja demais, você tem muito tempo para pensar. Então você está lá ganhando e de repente começa a pensar que algo vai dar errado, que o jogo vai mudar e isso vai te corroendo ao ponto de duvidar de você mesmo.”

“Eu sempre lutei para ganhar de mim mesmo, para depois ganhar dos meus reais adversários.”

 

Pratique esportes e atividades físicas no ritmo de sugestões de atletas que estão no Sesc Verão 2019. A primeira seleção traz as 20 músicas preferidas de Diogo Silva, atleta do taekwondo e MC.
 


 

 

Outras programações