Sesc SP

Matérias do mês

Postado em

Pais de Down

Foto: Georgia Branco
Foto: Georgia Branco

Receber a notícia da paternidade pode trazer dúvidas, alegrias, inquietações, surpresas, preocupações, enfim, uma explosão de emoções positivas e negativas na vida de um homem.

E se além desta novidade, o recente pai tenha o conhecimento de que seu bebê nascerá com Síndrome de Down? Em alguns casos muitos pais só percebem que a filha ou filho tem a síndrome após o nascimento, por meio do diagnóstico médico.

Por falta de informações, algumas pessoas sofrem antecipadamente e, muitas vezes, as formas de aceitação estão associadas à preconceitos e discriminações. Alguns homens, quando recebem a notícia, chegam a abandonar a companheira.

Para os que vivem no dia a dia essa situação, é muito comum a busca e o compartilhamento de informações como uma forma de amparo. Dentro desse universo, buscando desmistificar o tema Síndrome de Down e levar informação aos pais e mães, duas figuras se destacam: Patrick Faria, criador do canal Sou Pai de Down e Elitan David, criador do projeto Dauzito.

Patrick Faria, pai do João Pedro que nasceu com Síndrome de Down, só descobriu que o filho tinha a síndrome após o parto, mesmo com todos os cuidados do pré-natal. Assim que nasceu, João foi encaminhado diretamente à UTI neonatal para cuidar de sua condição respiratória, uma situação relativamente normal em crianças recém-nascidas com a Síndrome de Down. Após três anos de experiência sendo pai e conhecendo de perto a síndrome, Patrick viu a necessidade de falar diretamente com pais e criou o canal no Youtube Sou Pai de Down.

 

 

Elitan David, mineiro que reside em Belo Horizonte, é criador de personagens e tem uma agência de comunicação. Pai de dois filhos e uma filha, se considera uma pessoa privilegiada por ser pai. A filha, Ana Luiza, nasceu com Síndrome de Down, e a partir disso, muitas coisas mudaram na vida do mineiro. Elitan é criador do projeto Dauzito, uma história em quadrinhos onde os protagonistas principais têm a síndrome, sendo Ana sua maior inspiração. Pensando na quebra de preconceitos, apresenta o tema na revista de uma forma leve e lúdica.

 

 

Falando sobre a Síndrome de Down

A síndrome de Down, também conhecida como Trissomia 21, é uma alteração genética causada pela presença de uma terceira cópia do cromossomo 21 em todas ou na maior parte das células de um indivíduo. A maior parte da população possui 46 cromossomos, já as pessoas com síndrome de Down tem um cromossomo a mais, ou seja, 47.

A Trissomia 21 não é uma doença. Qualquer pessoa pode nascer com síndrome de Down, pois essa definição costuma ocorrer na hora da fecundação. É sempre importante ressaltar que o comportamento dos pais não é o causador da síndrome, não há nada que eles poderiam ter feito para ter sido evitada.

Segundo a Federação Brasileira de Associações de Síndrome de Down estima-se que no Brasil há uma média de 270mil pessoas com síndrome de Down, sendo 1 em cada 700 nascimentos.

O bebê nasce com algumas características específicas, como olhos amendoados, dedos mais curtos, marca na mão, maior separação entre os dedos do pé, dentre outras. Essas características podem até ser semelhantes, mas cada um apresenta uma personalidade e uma característica única, como acontece com a população em geral.

As crianças, jovens e adultos com a síndrome de Down tem o direito e a possibilidade de fazerem tudo, podem alcançar um bom desenvolvimento de suas capacidades pessoais e avançar com crescentes níveis de realização e autonomia. Podem e devem ocupar um lugar digno na sociedade.

 

Saiba mais sobre a Síndrome de Down:

Movimento Down

Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down

Sou pai de down

Dauzito

>> Leia mais sobre o assunto Paternidades aqui.

Outras programações